Capital de Giro – O que é e Empréstimo

Muitos empreendedores não dão à saúde financeira do seu negócio a atenção que esse assunto merece. Quem age assim não só dificulta as chances de crescimento como aumenta as chances de insucesso do mesmo. Um dos temas mais importantes da área de finanças empresariais é o capital de giro. Entenda o que ele é e como obter empréstimo pra capital de giro.

O capital de giro é a disponibilidade de dinheiro (capital) que a empresa precisa para manter suas atividades funcionando normalmente. A falta de uma boa gestão do capital de giro pode prejudicar bastante a saúde financeira do seu negócio, o que o levará a precisar de empréstimos bancários. Empréstimos, quando utilizados para investimentos, não são negativos, contudo, você não deve usar desse artifício para obter dinheiro para as atividades cotidianas da empresa.

O capital de giro é uma reserva de dinheiro que será utilizado ao longo do tempo, para suprir as necessidades financeiras cotidianas do seu negócio. Portanto, é um investimento necessário para fazer a empresa “girar”, daí o nome, capital de giro.

Capital de Giro – como calcular?

Calcular o capital de giro não é difícil, basta identificar as contas que estão relacionadas com as operações normais da empresa. Em nosso cálculo utilizaremos o ativo circulante e o passivo circulante.

O ativo circulante são os valores relacionados às contas a receber, adiantamentos, o estoque etc. Essas contas variam de acordo com a natureza do negócio.

O passivo circulante serão as contas a pagar, folha de pagamento, os fornecedores, aluguel, impostos e outros.
Como você deve saber, esses valores variam muito com o tempo, dessa forma, você deve realizar o cálculo do ativo e passivo circulante com frequência. Agindo assim, você terá sempre a exata noção da situação financeira do seu negócio naquele momento.

Para calcular o Capital de Giro Líquido – CGL – é bastante simples. Você deve somar o ativo circulante e diminuir o passivo circulante.

  • CGL = AC – PC.

Capital de Giro

Como administrar o Capital de Giro?

Agora que você já sabe como calcular o capital de giro, é importante entender como administrá-lo da maneira correta.

Você deve ter claro que todo empreendimento necessita de dinheiro para suas despesas do dia a dia, seja para despesas de operação ou gastos fixos.

Má gestão do Capital de Giro da empresa faz com que o empresário necessite de recursos exatas, o que na maior partes das vezes o leva a obter empréstimos bancários, os quais, no Brasil, são feitos com altas taxas.

Essa situação deve ser evitada, o capital de giro, em condições normais, deve ser supridos com os recursos da própria empresa, já que servirão para suas necessidades cotidianas.

Você deve adotar ferramentas de controle visando manter ou aumentar o nível de vendas, evitar desperdícios, manter ou reduzir custos e diminuir os índices de inadimplência. Uma boa gestão certamente fará com que seu empreendimento sempre tenha um bom capital de giro.

Essa preocupação financeira é essencial. Renegocie dívidas, tenha conhecimento exato dos prazos de pagamentos e circulação de estoque. Entenda como funciona o fluxo de entrada e saída de dinheiro, administrando dessa maneira a sua empresa não ficar sem seu caixa operacional.

Como conseguir empréstimo para capital de giro?

O primeiro ponto de atenção é não possuir restrições no SERASA. No caso do MEI  isso vale tanto para o CNPJ, pessoa jurídica, quanto para o CPF, pessoa física.

O ideal é que o MEI saiba quanto exatamente precisa para manter seu negócio funcionado, por quanto tempo, e qual sua capacidade de pagamento do empréstimo eventualmente obtido. Obtenha o empréstimo de acordo com sua necessidade e capacidade de pagamento, mesmo que você tenha acesso a mais.

Para o MEI, as linhas de crédito mais comuns são as feitas na Caixa e no Banco do Povo Paulista. Nesses dois casos o MEI conta com o apoio do SEBRAE para a apresentação de garantias.

As linhas de crédito mais populares são:

  • Parceria da Caixa e do FAMPE/Sebrae,  até R$ 12,5 mil de crédito, com prazo de pagamento de 24 meses, nove meses de carência, a uma taxa de juros de 1,59% ao mês. Clique aqui e veja.
  • Banco do Povo Paulista, até R$ 21 mil, taxa de juros de 0,35% ao mês e prazo de pagamento de 36 meses sendo 3 meses de carência. Clique aqui e veja.

Conseguindo-se o crédito para capital de giro, o MEI deve ter responsabilidade. Esse dinheiro deve ser usado para fazer seu negócio voltar a girar. A época é difícil e exige a reinvenção do negócio por parte de todos.

Esperamos, no presente artigo, ter esclarecido um pouco mais sobre a importância do capital de giro.

Lucro operacional

Você sabe o que é lucro operacional? Não? Neste artigo falaremos sobre ele.

O Lucro operacional é importante para que o empreendedor tenha a noção exata da rentabilidade dos serviços que oferece.

O que é Lucro Operacional

Lucro operacional é o lucro produzido exclusivamente pela operação do empreendimento, subtraindo-se as despesas administrativas, comerciais e operacionais.

O lucro operacional é, dessa forma, uma das informações que compõem a Demonstração do Resultado do Exercício, o DRE. Esse relatório é um resumo dos resultados da empresa durante um período determinado, usualmente um ano, sendo, também, uma das melhores ferramentas para análise do empreendimento.

Lucro operacional não se confunde com lucro bruto, esse último é calculado em um estágio anterior. Com o lucro bruto em mãos, subtrai-se as despesas administrativas, comerciais e operacionais e, posteriormente, calculamos o lucro operacional.

Sendo assim, o lucro operacional consegue dar uma visão real dos resultados financeiros alcançados pela empresa, já que ele reflete a diferença exata entre custos e receitas.

Como calcular o lucro operacional?

Como calcular o lucro operacional? Vamos lá.

É simples, fazemos a seguinte conta:

Lucro operacional = Lucro Bruto – Despesas Operacionais + Receitas Operacionais

Como chegamos a esse cálculo? Acompanhe:

Receita Operacional Bruta

(-) Deduções da Receita Bruta

Devoluções de Vendas

Descontos sobre Vendas

Impostos diretos sobre Vendas (ICMS, PIS/ COFINS, ISS)

(=) Receita Operacional Líquida

(-) Custos da Mercadoria Vendida ou Serviços Prestados

(=) Lucro Operacional Bruto

(-) Despesas Operacionais

Despesas Comerciais

Despesas Administrativas

Despesas Operacionais

(+)  Receitas Operacionais

(=) Lucro operacional Líquido

Como você viu, o cálculo começa com a receita operacional, ou seja, as estritamente ligadas à atividade da empresa.

Vamos a um exemplo para ficar mais claro.

Sua empresa vendeu R$ 10.000,00 em artigos esportivos. Digamos que tenham ocorrido R$ 50,00 em devoluções, R$ 50,00 em descontos e R$ 3.000,00 em impostos.

Resultado:

Receita líquida: R$10.000,00 – R$50,00 – R$50,00 – R$3.000,00 = R$6.900,00

Consideremos que o custo do material vendido seja de R$ 2.000,00. Agora calculamos o lucro bruto.

Lucro bruto: R$6.900,00 – R$2.000,00 = R$4.900,00

Com o lucro bruto em mãos, subtraímos as despesas operacionais e somamos as receitas operacionais.

Digamos que as despesas operacionais (pagamento de colaboradores, despesa de operação, aluguel, luz etc) tenham totalizado R$ 1.000,00.

Digamos, também, que as receitas operacionais (não ligadas à atividade fim da empresa) tenham sido de R$ 1.500,00.

Com esses dados, concluímos o cálculo: Lucro operacional = 4.900,00-1.000,00+1.500,00 = R$ 5.400,00

Chegamos à fórmula que falamos no início: Lucro operacional = Lucro Bruto – Despesas Operacionais + Receitas Operacionais.

O lucro operacional é, conforme demonstrado, um dos mais importantes indicadores financeiros da empresa.

 

Como aumentar as vendas – MEI

Vender é a chave de qualquer negócio, seja de serviços ou de produtos. Buscando técnicas de como aumentar as vendas para MEI? Muito bom, este artigo será dedicado a isso. Aqui apresentaremos algumas técnicas que, se bem utilizadas, poderão fazer com que suas vendas cresçam.

Muitas pessoas estão vendendo abaixo do que realmente podem apenas pelo fato de não estarem agindo da maneira certa. Às vezes uma simples correção de rumo pode alterar a lucratividade do negócio.

Como aumentar as vendas – MEI

Preço

Para determinação do preço você deve estudar o nicho no qual atua e qual público pretende atingir. Há pessoas que buscam apenas preços baixos, outras buscam produtos com maior valor agregado. Dessa forma, não existe caro ou barato, esses conceitos são relativos e dependem do nicho no qual você atua. Caso você consiga agregar maior valor a um determinado produto, o cliente certamente pagará mais por ele.

Amplie sua área de atuação

A matemática é simples: quanto mais clientes, mais vendas. Se você vende somente para pessoas de seu bairro, seu ganho é X. Se você vende para dois bairros, seu ganho é de X+1 e assim por diante. Ou seja, quanto maior for sua área de atuação, maior o número de clientes e maior o número de vendas.

Portanto, faça o possível para expandir o campo de venda de seu negócio com técnicas como: atrair clientes de outras localidades com produtos diferenciados, promoções e/ou disponibilidade de entrega em outras localidades.

A internet, atualmente, é uma ótima oportunidade de expansão de um negócio. Vendendo pela rede, você praticamente tem clientes ilimitados em potencial.

Qualifique-se

Como aumentar as vendas - MEIComo empreendedores, nunca estamos pronto. O bom empreendedor está em constante desenvolvimento. Em razão disso, nunca deixe de participar de cursos e treinamentos que possam de alguma forma contribuir para a melhora de seu negócio e desenvolver ações para aumentar as vendas.

Especializar-se em técnica de vendas é a melhor dica que podemos lhe dar. Vender bem é quase uma arte. Uma pessoa que domine as técnicas de venda tem perceptivas de ganho praticamente ilimitadas. Sim, existe um comportamento específico que diferencia os vendedores comum dos bons vendedores.

Caso você queira conhecer essas técnicas, recomendamos a leitura do livro O Maior Vendedor do Mundo, de Og Mandino. O livro é curto, de leitura rápido e fácil, mas os conceitos transmitidos são muito profundos. É impossível não se tornar um vendedor melhor após ler esse livro.

Lembrando, todos nós somos vendedores, não importa se de produtos ou serviços.

Melhore seus produtos

Aumentar a qualidade dos produtos que você vende certamente é um ponto que aumenta as vendas. Atualmente, além do preço, os clientes buscam qualidade. Portanto, dê especial atenção a esse ponto.

Esperamos, com este artigo, ter contribuindo com algumas técnicas sobre como o MEI pode aumentar suas vendas.

 

Como calcular o preço de venda (lucro)

Nem todo mundo gosta de realizar cálculos. Na verdade, quase ninguém gosta não é mesmo? Contudo, quem tem seu próprio negócio, gostando ou não, é obrigado a realizar alguns cálculos já que todo negócio, em primeira análise, visa um detalhe chamado: lucro. Para apurarmos a lucratividade de um determinado produto, devemos saber como calcular o preço de venda. Você sabe como fazer? Não? Aprenda neste post.

Lembrando que a fórmula de cálculo usada aqui serve tanto para negócios físicos como online.

Custo por produto e despesas fixas

Custo por produto

Caso você realize compra e venda de produtos prontos, ou compra de matérias primas para criação de um novo produto, o valor gasto para aquisição ou confecção do mesmo é o “valor básico” em cima do qual faremos os demais cálculos.

Exemplo: Você é um vendedor de camisetas

Caso você compre as camisetas já prontas, seu custo por produto será o valor gasto para adquirir as mesmas. Importante salientar que é o custo total, não só o preço da camiseta em si. Se você tem algum gasto com transporte, por exemplo, este deve fazer parte do cálculo. Assim, se você compra 10 camisetas por R$100,00 e gasta R$ 20,00 com transporte, o custo total é de R$ 120,00, como foram 10 camisetas, o custo por unidade é de R$ 12,00 (120/10).

Se em vez de comprar prontas, você confecciona as camisetas, deve calcular quanto gasta de tecido, linhas, estampas, botões etc para confeccionar um número X de camisetas. Digamos que você gaste R$ 80 reais para produzir 10 camisetas, então, seu custo por unidade seria de R$ 8,00.

Despesas Fixas

Como calcular o preço de venda - lucroAlém do custo por produto, você tem outras despesas indiretamente envolvidas no processo de compra ou produção. Nós devemos saber quanto essas despesas fixas devem influir no preço de cada produto. As despesas fixas podem ser estimadas para um determinado período. Existem várias maneiras de calcular isso, vamos citar aqui a que consideramos mais fácil e bastante válida ao caso.

Pegue suas despesas fixas mensais como água, luz, telefone, (taxa fixa mensal – MEI), internet, aluguel e outras dos últimos 12 meses.

Pegue o total obtido com vendas nos últimos 12 meses.

Confira sua planilha de fluxo de caixa para pegar os valores.

Divida as despesas pelas vendas e multiplique por 100. O resultado é o percentual que cada venda deve contribuir para abatimento das despesas fixas.

Exemplo: Se nos últimos 12 meses você teve R$10.000,00 de despesas fixas e R$ 50.000,00 de vendas, o cálculo fica assim: 10.000,00/50.000,00×100=20%.

Margem de lucro

Agora que temos em mãos o custo específico por produto e o percentual do quanto cada venda de abater dos custos fixos, podemos definir nossa margem de lucro. Lembrando que a margem de lucro é calculada por produto, ou seja, se você vende diversos tipos de mercadorias, pode calcular uma margem de lucro específica para cada um deles. Importante, contudo, é que você defina uma margem de lucro mínima, vamos trabalhar, neste exemplo, com 15%.

Como calcular o preço de venda – lucro

Com todos os dados disponíveis, agora ficou bastante fácil calcular o preço de venda.

Vamos a um exemplo:

Custo total por produto: R$10,00;

Percentual das despesas fixas: 20%

Margem de Lucro desejada: 15%

O resultado de 10+20%+15% é o preço mínimo para venda. Mas como calcular? Se você pensou em somar 10+35% de 10, pensou errado, devemos fazer uma equação que, nesse caso, servirá de fórmula do preço de venda.

O preço de venda (PV) equivale a 100% do que você quer não é? 10+20%+15% dará o preço de venda, não é mesmo? Então montamos a equação assim:

100% (PV) = 10+20%+15% (realizamos a soma dos %)
100% (PV) = 10 + 35% (passamos o % para o outro lado com o sinal invertido)
100%(PV) – 35% = 10 (realizamos o cálculo do %)
65% = 10 (dividimos e achamos a %)
PV= 10/65%
PV = 0,1538 (multiplicamos por 100 e achamos o preço de venda)
PV = 0,1538 x 100 = R$ 15,38

Achou complicado o cálculo do preço de venda? Não se desespere, criamos uma planilha no Microsoft Excel para realização do mesmo. Baixe a planilha CLICANDO AQUI.

Esperamos, com este artigo, ter esclarecido como calcular o preço de venda (lucro).

 

O que é empreendedorismo

Você já se perguntou o que é empreendedorismo? Empreendedorismo é o processo dirigido ao desenvolvimento de habilidades e competências relacionadas ao desenvolvimento de projetos (empreendimentos). Está associado ao termo empreender, que quer dizer realizar, fazer ou executar.

O conceito empreendedorismo foi difundido pelo economista Joseph Schumpeter, em 1942, o qual, dentre outras coisas, relaciona o empreendedorismo com o desenvolvimento econômico. Uma das conceituações mais aceitas, atualmente, foi feita por Robert D. Hisrich, em sua obra “Empreendedorismo”.

Para o autor, “empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal”.

O empreendedor é, dessa forma, uma pessoa que possuir certa inspiração para o “negócio”, que normalmente enxerga possibilidades que outras pessoas não conseguem ver.

Para Augusto Cury:

“Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história… Quantos projetos você deixou para trás? Quantas vezes seus temores bloquearam seus sonhos? Ser um empreendedor não é esperar a felicidade acontecer, mas conquistá-la”.

O que é empreendedorismo

Esclarecido o que é empreendedorismo, listamos as características do empreendedor:

 

  • Imaginação e criatividade;
  • Determinação;
  • Habilidade de organizar;
  • Habilidade de liderar pessoas;
  • Habilidade de lidar com processos e etapas.

Dia do Empreendedor

O dia do empreendedor é comemorado em 1º de julho.

Como ser tornar um empreendedor

Toda a atitude empreendedora esta ligada ao modo de pensar do empreendedor, ou seja, para ser um empreendedor você deve pensar como um. O primeiro passo, é fazer uma auto-análise e reconhecer seu pontos fortes e fracos, suas habilidades e falhas. Feito esse reconhecimento inicial, você deve trabalhar para fortalecer seus pontos fracos e manter ou melhorar os fortes. Um bom empreendedor deve estar em melhoramento constante e nunca deve se sentir pronto, “sempre tem algo a ser aprendido”.

Se você ainda não se considerada apto a empreender, saiba que os empreendedores normalmente não nascem prontos, vão desenvolvendo suas habilidades ao longo da vida. Se eles desenvolvem, você pode também. Existe treinamento para isso.

Confira, também, esse vídeo do Canal Geração de Valor sobre empreendedorismo:

Esperamos, com este artigo, ter esclarecido o que é empreendedorismo.

MEI terá redução de multa de obrigações acessórias a partir de 2016

Foi publicado no Diário Oficial da União desta terça, 14/04/2015, orientação para redução de multas relativas às obrigações acessórias do Simples Nacional.

Conforme informações do Comitê Gestor do Simples Nacional, a recomendação é para União, Estados, municípios e o Distrito Federal, e refere-se à diminuição de multas para microempreendedores individuais – MEI, microempresas e empresas de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional.

O Comitê Gestor do Simples Nacional reuniu-se no dia 8 de abril, com a presença de conselheiros representantes da Receita Federal, Estados e Municípios.

Nessa reunião, foi aprovada a Recomendação nº 5, orientando os entes federados para que, a partir de 2016, as multas relativas à falta de prestação ou à incorreção no cumprimento de obrigações acessórias, quando em valor fixo ou mínimo, para MEI, ME e EPP, optante pelo Simples Nacional, deverão ter:

I – fixação legal de valores específicos e mais favoráveis; ou

II – redução de:

a) 90% (noventa por cento) para o MEI;

b) 50% (cinquenta por cento) para a ME ou EPP.

A redução não se aplica na:

I – hipótese de fraude, resistência ou embaraço à fiscalização; ou

II – ausência de pagamento da multa no prazo de 30 (trinta) dias após a notificação.

Fonte: http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/mei-me-ou-epp-tera-reducao-de-multas-de-obrigacoes-acessorias-a-partir-de-2016

 

Marcelo Ostia – de morador de rua a empresário

Esta é mais uma daquelas histórias que nos dá a sensação de que nada é impossível quando nós nos dedicamos muito a um objetivo. Todo empreendedor passa por momentos de desanimo, várias coisas parecem dar errado e nos sentimos como que rodando sempre no mesmo lugar, sem muitas perspectivas de grande sucesso. No entanto, ao vermos histórias como a do empreendedor Marcelo Ostia, percebemos que podemos estar somente usando os métodos errados.

Resultado da dedicação e metodologia correta de Marcelo Ostia: Criação da Camisetas da Hora e faturamento mensal de R$ 120 mil reais.

“As pessoas não falham. Elas desistem”. Marcelo Ostia, de 32 anos, só se deu conta da reviravolta que havia acontecido em sua vida quando leu esta frase em uma camiseta doada por voluntários a moradores de rua do centro de São Paulo. Ele estava dormindo em uma vaga de estacionamento quando um motorista de caminhão lhe entregou a peça de roupa. “Vi que a minha situação era crítica, estava sendo confundido com um mendigo”. Isso bastou para que o empreendedor revertesse completamente os rumos de sua vida. Hoje, sua empresa conta com 835 franqueados e um faturamento de R$ 120 mil por mês.

Se ele conseguiu sair de morador de rua a tamanho faturamento por mês, por que nós, com os mesmos métodos que ele, não podemos conseguir desempenho parecido?

Como Marcelo Ostia conseguiu o sucesso?

Marcelo OstiaEmbora hoje Marcelo Ostia seja um exemplo de sucesso, o caminho foi árduo. Sem emprego, Ostia decidiu montar uma copiadora rápida na garagem da casa dos pais, sua primeira experiência como empreendedor. Um de seus clientes era o dono de uma camisetaria que comentou com ele que precisava de alguém para fazer a arte das estampas. Vendo uma oportunidade, ele ofereceu seus serviços – mesmo sem saber nada sobre arte gráfica. “Instalei o CorelDRAW no computador e fiquei fuçando, aprendendo sozinho durante uns três meses. Foi um pelejo bem grande, mas consegui”.

Quando os negócios começavam a ir bem, a empresa do novo cliente foi à falência e o dono veio perguntar a Ostia se ele não gostaria de comprar os equipamentos de estampa. Foi a segunda grande reviravolta na vida do empreendedor, que também não sabia nada sobre estampar camisetas, mas aceitou fechar o negócio mesmo assim. A copiadora virou, então, uma gráfica rápida: fazia banners, faixas, cartazes e também estampava camisetas. Depois de algum tempo, no entanto, essa empresa faliu!

Isso não fez Ostia desistir.

“Percebi que precisava mudar. Além disso, a minha namorada estava grávida”. Ostia decidiu, então, começar a produzir camisetas para vender pela internet. No começo, ele anunciava os produtos no Mercado Livre e colocava no correio para fazer as entregas – passava os dias circulando entre a rua Bresser e uma lan house próxima ao estacionamento. Em 2004, quando conseguiu juntar R$ 300, criou uma página do negócio na internet e voltou para Itu.

Desde então, a Camisetas da Hora cresceu de maneira assustadora. Atualmente, a marca vende até 8 mil camisetas por mês, por meio de suas 834 franquias online, um quiosque em Itapevi (SP) e um furgão que viaja o Brasil todo vendendo os produtos em eventos. Daqui a 60 dias, será inaugurada a primeira loja física da rede, em Araraquara. “Isso é empreendedorismo. O empreendedor consegue ver vantagens em qualquer situação, consegue criar oportunidades onde as outras pessoas só veem problemas”.

Como pessoa diferenciada que é, Ostia decidiu ajudar outras pessoas a desenvolverem as mesmas capacidades e utilizarem os mesmos métodos que ele utilizou. Em razão disso, criou o curso Metamorfose Empreendedora, que é um programa comportamental por ele desenvolvido que visa mudar a forma de pensar e agir do empresário, aprimorar habilidades e corrigir vícios, direcionando sua empresa para o alcance do sucesso pleno.

A história de superação de Marcelo Ostia já lhe rendeu várias participações em programas de TV, confira abaixo:

GLOBO – Torne-se um empresário de sucesso!

SBT – Microfranquias – Trabalhe sem sair de casa!

RECORD

REDE TV

BAND

ROBERTO JUSTUS

Então é isso, que Marcelo Ostia sirva de exemplo para nós todos.

Fonte: ÉPOCA NEGÓCIOS – Marcelo Ostia

Como ser mais produtivo – 5 dicas

Procurando formas de como ser mais produtivo? Muito bom, isso prova que você está buscando tornar-se melhor no que faz, seja administrando seu próprio negócio ou mesmo como funcionário.

Foi-se o tempo em que ser simplesmente “comum” era o suficiente. Atualmente a concorrência está bastante acirrada, de forma que os menos eficientes estão quase que fadados ao fracasso. Dessa forma, ser mais produtivo é quase uma necessidade para sobreviver às exigências do mercado.

Para você que é empreendedor, é bom ter em mente que empreendimentos do mesmo setor que o seu, nesse momento, podem estar procurando formas de melhorar seus produtos e ou serviços de maneira que, se você não fizer o mesmo, certamente perderá clientes.

Para você que é funcionário a mesma regra é válida. Embora muitos não pensem assim, você também está colocado em um ambiente de concorrência. Qualquer empresa valoriza bons funcionários e os melhores, quase sempre, são os primeiros a conseguirem promoções e/ou aumento de salário. Pense nisso, não fique parado!

Como ser mais produtivo

Como ser mais produtivo?

Ao contrário do que muitos pensam, a maior parte das pessoas altamente produtivas não nasceram assim. Boa produtividade é questão de postura, atitude e hábito, de forma que ser mais produtivo depende em maior parte de sua forma de agir do que de suas características pessoais.
Assim, quer saber como ser mais produtivo? confira nossas dicas:

1º Liste tarefas

Não saber exatamente o que fazer é o principal fator de redução de desempenho. Dessa forma, faça uma lista em um caderno, celular ou PC de tudo o que tem a fazer durante o dia. Risque a tarefa à medida que for cumprindo. Chegar ao final do dia e ver a lista totalmente “riscada” dá uma ótima sensação de dever cumprido. Siga o princípio do “Missão dada é missão cumprida” e determine-se a fazer tudo o que planejou fazer, isso aperfeiçoa sua personalidade e potencializa sua produtividade.

2º Não exagere na lista

Muitas vezes na ânsia de nos tornarmos mais produtivos, acabamos nos comprometendo com um número de tarefas que dificilmente conseguiremos cumprir. Como dissemos na dica anterior, tudo o que você planejar fazer você deverá fazer, haja o que houver, então, não se comprometa com tarefas que sabe que não conseguirá cumprir.

3º Elimine distrações

Quando estiver em atividade, elimine tudo que não diga respeito a seu trabalho. Redes sociais, chats, WhatsApp, Skype e outros são exemplos de distrações que aniquilam a produtividade. Reserve um tempo do seu dia para essas atividades, mas não muito. Quando estiver trabalhando, comprometa-se com o que estiver fazendo, sem qualquer distração.

4º Acabe com a procrastinação

“Deixar para depois” é um grave defeito que deve ser combatido. Se quisermos ser realmente produtivos, temos que fazer o que tem que ser feito a todo momento, sem adiamentos desnecessários. Para não nos estendemos no assunto, recomendamos a leitura do artigo como se livrar da procrastinação do blog Estudo Administração.

5º Motive-se e descanse

Mantenha sua motivação enquanto estiver trabalhando. Empregue toda sua energia em sua atividade, isso melhora a qualidade do seu serviço e, consequentemente, a valorização do mesmo. Além disso, com ser humano que é, procure descansar de tempos em tempos. Ninguém consegue ser 100% o tempo interno, portanto, descanse quando necessário.

Veja esse vídeo sobre como ser mais produtivo:

Conhece outras formas de como ser mais produtivo? Poste nos comentários.

 

Curso de depilação – Oportunidade

Já pensou em fazer um curso de depilação? Pois é, está aí uma ótima opção de negócio.

Os empreendimentos relacionados à depilação, tanto feminina como masculina, estão crescendo a todo vapor no país. A preocupação cada vez maior das pessoas com a beleza tem feito com que esse tipo de negócio apareça como grande nicho de oportunidade de trabalho.

Em épocas recentes, o assunto depilação restringia-se às mulheres, contudo, a cada dia que passa, mais e mais homens estão aderindo à tendência de também depilarem-se.

A implementação de um negócio desse tipo não é muito complexa e pode ser feita em um pequeno estabelecimento comercial, em casa, ou mesmo de forma móvel, com o empreendedor(a) indo até a residência do cliente. Consulte o setor responsável na Prefeitura de sua cidade, a fim de verificar se não há impedimentos.


Curso de depilação

Para quem se interessou pelo assunto, seguem algumas dicas:

1º Faça um curso de depilação

Pensamos que essa deve ser a primeira atitude a ser tomada, tendo em vista que, realizado o curso de depilação, você passará a ter maiores conhecimentos sobre o assunto, definindo assim o foco exato do se negócio.

Em nossas pesquisas, localizamos dois cursos de depilação que podem ser realizados de maneira online.

 

 

Além disso, você pode procurar por cursos de depilação presenciais em sua cidade.

2º Plano de Negócios

Procure o SEBRAE de sua cidade para elaboração de um plano de negócios específico para você. Mesmo pequenos negócios devem ser bem planejados. Não inicie seu empreendimento de qualquer maneira, pois, assim fazendo, você aumenta consideravelmente suas chances de fracasso.

3º Formaliza-se como Microempreendedor Individual

Essa fase é importante. Você pode formalizar-se como microempreendedor individual na categoria “Depilador(a)” e, assim, passar a ter CNPJ, benefícios previdenciários e várias outras vantagens. Para saber mais, recomendamos os artigos abaixo: