Plano de Negócios para MEI – Aprenda

Não importa se você já é um MEI ou está pensando em se tornar um. Ter um plano de negócios pode ser o diferencial entre o sucesso ou o fracasso do seu empreendimento. Montar um plano de negócios pode ser mais fácil do que você imagina. Neste artigo falaremos sobre plano de negócio para MEI.

Plano de Negócios para MEI

Um plano de negócios serve como um programa de funcionamento e desenvolvimento para sua empresa.

Muitos MEIs, pela simplicidade do seu negócio, não veem isso com clareza. Mesmo sendo algo que você faz individualmente, pense seu negócio como uma empresa. Sendo empresa, seu objetivo é o lucro, certo? Você quer crescer, não é mesmo?

Então. Um plano de negócios vai lhe ajudar a trilhar o caminho rumo ao aumento de lucratividade e crescimento do seu negócio.

1º – Passe seu negócio para o papel

Um plano de negócio não pode ser somente algo mental. Ou seja, não pode ficar somente na cabeça do empreendedor. Ele deve ser escrito, não importa se em um papel ou no computador. O importante é você passar o projeto da sua cabeça para algo físico.

2º – O que você faz?

O primeiro ponto é definir exatamente qual é sua atividade. Ao que você se dedica.

Isso é fácil não é mesmo.

Pois bem, se você sabe exatamente qual é o seu trabalho, defina o que difere o seu serviço dos demais.

Você sabe dizer? Se não, é importante pensar sobre isso. Um serviço específico que apresente traços que o diferencie dos demais certamente é mais valorizado. Os clientes pagarão mais por um serviço diferenciado.

Analise seus concorrentes. Veja como eles trabalham e procure se diferenciar deles.

Não se contente em fazer “igual a todo mundo”. Diferencie seu serviço de alguma forma. Isso faz bem para nosso crescimento pessoal e para nosso bolso também.

3º – Quem são seus clientes?

Parece uma pergunta boba, mas não é. Quem é o publico que normalmente compra de você?

Cada tipo de público tem necessidades e exigências diferentes. Os clientes procuram produtos que se adequem a suas necessidades.

Por exemplo. Um cliente está procurando um celular topo de linha para comprar, um vendedor lhe oferece um celular simples, funcional e que custa somente R$ 9,99. É barato, não é mesmo? Mas o cliente irá comprá-lo?

Provavelmente não. Esse cliente não está procurando bom preço. Ele está procurando o celular topo de linha e, provavelmente, estará disposto a pagar um alto preço por esse produto.

Utilizamos esse exemplo simples só para mostrar que diferentes públicos buscam diferentes produtos e serviços.

Por essa razão é imperioso que você defina quem é seu público. Com o perfil do seus clientes definido, ofereça serviços/produtos de acordo com os anseios desses clientes.

4º – Adeque-se às formas de pagamento

Atualmente a utilização de cartões de crédito/débito têm crescido bastante. Muitas pessoas sequer carregam dinheiro em espécie em suas carteiras.

Qual é o perfil de pagamento do seus clientes? Pagam mais à vista? À prazo? Dinheiro? Cartão? Cheques?

Enfim. É importante criar uma estatística desses pagamentos. Se você ainda não têm, passe a por em um planilha os pagamentos de cada tipo para ter uma noção do perfil de pagamento dos seus clientes.

Isso é importante para planejamento financeiro. Se você vende muito no prazo, cheques ou cartão, sabe que levará um tempo para ter o dinheiro disponível para você.

Quem tem esse perfil de recebimento deve planejar-se para ter fluxo de caixa suficiente para manter o negócio em funcionamento até o recebimento das vendas.

Alguns microempreendedores ainda não trabalham com cartões. Atualmente, não ter a “maquininha” pode levá-lo a perder várias vendas. Pesquise as disponíveis no mercado e escolha a que lhe oferecer custos menores. É melhor “perder um pouco” na taxa do cartão do que deixar de vender. Escrevemos um artigo sobre maquininhas de cartão para MEI.

5º – Ganhe dinheiro já no fornecedor

Comprar bem é o primeiro passo para vender bem.

Se há mais de um fornecedor disponível, veja qual oferece o melhor preço com a qualidade que você procura.

O fornecedor dá desconto à vista? Então planeje seu orçamento do negócio para ter dinheiro na hora da compra. Se você comprar mais barato, terá mais lucro na venda.

6º – Administre o orçamento do negócio separadamente

Um erro que muitos cometem é misturar o dinheiro pessoal com o do negócio.

Recomendamos que você tenha um orçamento separado para seu negócio.

Nesse orçamento você deve fazer o controle do dinheiro que entra e do que sai. Logicamente, nosso objetivo é ter lucro. Dessa forma, o que arrecadamos deve sempre maior do que o que gastamos.

Se isso não está acontecendo, algo no seu planejamento está errado.

Cada negócio pode apresentar problemas específicos. Assim, você deve analisar a sua atividade é encontrar onde está o problema.

Plano de Negócios - MEI

6º – Crie metas para seu negócio

Quem não sabe para onde quer ir, normalmente não chega a lugar nenhum.

Quanto você vende hoje? Quanto tem de lucro? As respostas a essas perguntas traduzem a sua situação financeira atual. Qual material físico seu negócio possui? A resposta é sua situação estrutural atual.

Estipule metas futuras. Pense em seu negócio maior, com mais lucratividade. Mais estruturado e organizado.

Você precisa de novos materiais? Algo precisa ser comprado? Algo precisa ser reformado?

Coloque essas necessidades em suas metas e defina um plano para realizá-las.

Tenha metas financeiras. Se hoje você vende X, tenha como meta daqui a 3 meses estar vendo X+2. Compre mais barato, melhore seu produto ou serviço, diferencie-se para dos demais para cobrar um preço maior. Enfim. Cada negócio tem uma (ou várias) formas de aumento de lucratividade.

E aí MEI? Pronto para criar seu plano de negócios?

 

Novas regras de planos de saúde para MEI

Entraram em vigor, a partir de janeiro de 2018, novas regras de planos de saúde para o Microempreendedor Individual – MEI. Essa é uma notícia importante para o MEI, pois além do acesso a vários benefícios previdenciários o MEI também pode contratar um plano de saúde com seu CNPJ, desde que esteja com seu negócio regular.

A partir de agora, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, os MEIs que tiverem a intenção de contratar um plano de saúde terão que comprovar sua inscrição formalizada como MEI a, pelo menos, 6 meses.

Por que isso foi feito?

O MEI deverá comprovar sua regular inscrição através de documentos hábeis, a fim de que o plano de saúde respectivo possa comprovar as informações prestadas. Essa medida foi tomada para eu apenas os MEIs regulares possam contratar um plano de saúde como empresas.

Essas providências estão sendo tomadas visando evitar fraudes como, por exemplo, pessoas que criam cadastro como MEI apenas para conseguir adesão a um plano de saúde empresarial.

O MEI regularmente escrito poderá adquirir um plano de saúde empresarial não somente para si, mas também para dependentes, desde que exista algum vínculo familiar. Mesmo o funcionário do MEI, que pode ser apenas um, também poderá ser beneficiado pelo plano.

Assim, o MEI que estiver com suas obrigações em dia pode contratar um plano de saúde para si, para familiares e para seu funcionário, caso possua um.

Após a contratação, desde que o plano de saúde verifique irregularidades no registro do MEI, o plano ainda poderá ser cancelado. Outra hipótese de cancelamento é a falta de pagamento.

Importância da regularidade

Isso mostra que, mesmo sendo um programa com burocracia reduzida, é importante manter suas obrigações em dia a fim de não perder benefícios.

Portanto, você que é MEI deve manter seus pagamentos em dia a fim de manter o acesso aos atendimentos do plano, caso seja necessário.

 

MEI deve receber restituição em até 60 dias

A Receita Federal do Brasil terá um prazo de até 60 dias para pagar a restituição dos Microempreendedores Individuais – MEIs. O pedido de restituição poderá ser feito totalmente online, a partir do dia 30. Mais informações podem ser obtidas no diário oficial do dia 27 de junho de 2017. Caso seu cadastro e suas declarações estejam regulares, a auditoria do crédito e o pagamento da restituição devem ser feitos em até 60 dias.

A restituição acontece quando o contribuinte paga o imposto acima do devido, referente aos tributos federais sob atribuição da Receita Federal do Brasil. O pedido de restituição poderá ser feito pela internet, utilizando-se o site do Simples Nacional.

Nessa nova forma de pedido, o contribuinte não precisará dirigir-se à uma unidade de atendimento para solicitar a restituição, todo o procedimento poderá ser feito online. Segundo informações, existem mais de 100 mil pedidos de restituição acumulados. Essa simplificação irá beneficiar mais de 11 milhões de optantes do Simples e do MEI e, em tese, reduzirá essa fila de espera.

Como dissemos antes, a partir do dia 30 de junho você poderá fazer o pedido de restituição e acompanhar o andamento do processo pelo site do  Simples Nacional.

Aprovado novo limite para MEI – 2019

Foi sancionada a Lei Complementar nº 155, de 27 de outubro de 2016. O texto é resultado do PLC 125/2015, aprovado pelo Senado em junho, após dez meses de discussões. Esse limite já vale para o ano de 2019.

Foram realizadas alterações na a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, dentre as quais a definição de novos limites para o enquadramento no Simples Nacional e ampliação do prazo para pagamento de dívidas tributárias.

Essas medidas visam atualizar e modernizar alguns fatores em relação ao microempreendedor individual – MEI e são muito bem vindas.

Limite MEI – 2019

Com a nova lei, os limites passam a ser os seguintes:

  • MEI: o limite passa de R$ 60 mil  para R$ 81 mil anuais(Art. 18-A, § 1º da LC 123/06).

A nova versão da lei altera, também,  de 60 para 120 o número de prestações  para pagamento de dívidas tributárias. Essa medida pode auxiliar empreendedores que estão com dificuldades de colocarem seu negócio em dia.

Foi criada, ademais, a figura do “investidor-anjo” para ajudar as start-ups a obterem capital necessário para colocar seus produtos no mercado. Obter financiamento de terceiros normalmente é uma ótima alternativa aos empréstimos bancários que, por vezes, não oferecem boas taxas de juros.

Medida boa ou ruim?

Essa medida é realmente uma ótima notícia para quem já é ou pensa em ser meio, pois esse aumento de R$ 21,000.00 no limite permite que mais negócios possam continuar enquadrados como MEI, sem a necessidade de abrirem uma microempresa ou empresa de pequeno porte.

Sabemos que quanto mais faturamento um negócio tiver é melhor, contudo, a diferença de burocracia de um MEI para outro tipo de empresa é muito grande. Muitas vezes um negócio ficava com faturamento próximo dos R$ 60 mil, mas superá-lo muito.

Nesses casos, mesmo com pouco diferença de faturamento o empreendedor já era obrigado a mudar o tipo de seu negócio, passando a lidar com muitos mais exigências do que quando podia permanecer como MEI.

Limite MEI 2019

Conforme visto, o limite MEI 2019 é de R$ 81.000,00.

Nota Fiscal Avulsa – NFA-e para MEI

Como Microempreendedor Individual – MEI, em alguns casos, você precisa emitir documentos fiscais a fim de comprovar a venda de produtos ou prestação de serviços. Falaremos, no presente artigo, sobre a Nota Fiscal Avulsa – NFA-e para MEI.

Nota Fiscal Avulsa – NFA-e para MEI

Conforme Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, o MEI não é obrigado a emitir notas fiscais na venda de produtos para pessoas físicas. Contudo,  quando o produto é direcionado a uma empresa, o MEI deve emitir nota fiscal – exceto se a empresa compradora emitir uma nota fiscal de entrada de produtos.

Normalmente a nota fiscal pode ser impressa, mas em alguns estados é exigido a nota fiscal eletrônica.

Se você ainda não trabalha com a emissão de NF-e, a nota avulsa pode ser uma boa opção.

O que é nota fiscal avulsa eletrônica – MEI

A nota fiscal avulsa eletrônica (NFA-e) é um serviço que permite a emissão virtual de um documento fiscal, sendo desnecessário o uso de blocos de papel.

A disponibilização aos contribuintes da possibilidade de emissão de uma NFA-e é facultativa às Secretarias de Fazenda.

Normalmente, a nota fiscal avulsa é emitida em modelo idêntico à NF-e tradicional, o 55. A diferença principal é que com a NFA-e você faz a solicitação de cada nota no site da SEFAZ, sendo que este procedimento varia de estado para estado.

No estado de Minas Gerais, por exemplo, a exigência ou não de documentos depende da análise do requerimento e, quando exigidos, estarão listados nas telas de acompanhamento de sua solicitação, o que será feito acessando o SIARE com protocolo, CPF e senha.

Acesse este link e confira.
Nota Fiscal Eletrônica Avulsa

Reforçamos que esse procedimento varia de estado para estado. Se você tiver dúvidas, recomendamos que procure a SEFAZ do seu município ou mesmo o auxílio de um contador.

Vantagens de usar a NFA-e

  • Economiza-se tempo e custo, pois o processo é completamente informatizado;
  • Redução de retrabalho, pois alguns dados podem ser importados, ou seja, não é necessário preencher em todas as notas;
  • Sistema amplamente testado e aceito em todo o país.

Para saber se em seu estado há a possibilidade de emissão da NFA-e você deve verificar diretamente na SEFAZ. Em alguns estados é possível fazer o procedimento de cadastro totalmente online.

Como você pode ver, a Nota Fiscal Avulsa – NFA-e é uma ótima opção para o MEI.

Como aumentar as vendas – MEI

Vender é a chave de qualquer negócio, seja de serviços ou de produtos. Você está procurando técnicas de como aumentar as vendas para MEI? Muito bom, este artigo será dedicado a isso.

Prossiga na leitura deste artigo, pois aqui apresentaremos algumas técnicas que, se bem utilizadas, poderão fazer com que suas vendas cresçam.

Muitas pessoas estão vendendo abaixo do que realmente podem apenas pelo fato de não estarem agindo da maneira certa. Às vezes uma simples correção de rumo pode alterar a lucratividade do negócio.

Como aumentar as vendas – MEI

Preço

Para determinação do preço você deve estudar o nicho no qual atua e qual público pretende atingir. Há pessoas que buscam apenas preços baixos, outras buscam produtos com maior valor agregado. Dessa forma, não existe caro ou barato, esses conceitos são relativos e dependem do nicho no qual você atua. Caso você consiga agregar maior valor a um determinado produto, o cliente certamente pagará mais por ele.

Por exemplo, um cliente que está procurando um produto de alto padrão dará mais importância à qualidade do produto do que ao preço.

Amplie sua área de atuação

A matemática é simples: quanto mais clientes, mais vendas.

Se você vende somente para pessoas de seu bairro, seu ganho é X. Se você vende para dois bairros, seu ganho é de Xx2 e assim por diante. Assim sendo, quanto maior for sua área de atuação, maior o número de clientes e maior o número de vendas.

Faça o possível para expandir o campo de venda de seu negócio com técnicas como: atrair clientes de outras localidades com produtos diferenciados, promoções e/ou disponibilidade de entrega em outras localidades.

A internet, atualmente, é uma ótima oportunidade de expansão de um negócio. Vendendo pela rede, você praticamente tem clientes ilimitados em potencial.

Uma página nas redes sociais mais populares é uma ótima forma de atrair clientes. Muitas pessoas hoje em dia procuram produtos e serviços na rede, não perca esta oportunidade.

Qualifique-se

Como aumentar as vendas - MEIComo empreendedores, nunca estamos prontos. O bom empreendedor está em constante desenvolvimento. Em razão disso, nunca deixe de participar de cursos e treinamentos que possam de alguma forma contribuir para a melhora de seu negócio e desenvolvimento de ações para aumentar as vendas.

Especializar-se em técnica de vendas é a melhor dica que podemos lhe dar. Vender bem é quase uma arte. Uma pessoa que domine as técnicas de venda tem perceptivas de ganho praticamente ilimitadas. Sim, existe um comportamento específico que diferencia os vendedores comum dos bons vendedores.

Caso você queira conhecer essas técnicas, recomendamos a leitura do livro O Maior Vendedor do Mundo, de Og Mandino. O livro é curto, de leitura rápido e fácil, mas os conceitos transmitidos são muito profundos. É impossível não se tornar um vendedor melhor após ler esse livro.

Lembrando, todos nós somos vendedores, não importa se de produtos ou serviços.

Melhore seus produtos

Aumentar a qualidade dos produtos que você vende certamente é um ponto que aumenta as vendas. Atualmente, além do preço, os clientes buscam qualidade. Portanto, dê especial atenção a esse ponto.

Esperamos, com este artigo, ter contribuindo com algumas técnicas sobre como o MEI pode aumentar suas vendas.

Ativo Circulante – O que é?

Principalmente para que tem o próprio negócio, é sempre importante saber pelo menos o básico de contabilidade. Agora que você já sabe como calcular o preço de venda, aprenda neste artigo o que é ativo circulante.

O que é ativo circulante?

Em contabilidade, ativo circulante diz respeito aos bens e direitos que possam ser realizados a curto prazo.

Dessa firma, podem ser considerados ativos circulantes:

  • dinheiro em caixa;
  • bancos conta movimento;
  • aplicações financeiras;
  • duplicatas a receber;
  • os estoques;
  • outros créditos de realização a curto prazo.

Por curto prazo entende-se aquele que irá se realizar até o término do exercício social seguinte.

A Lei 6.404/76, determina que o Ativo no Balanço Patrimonial será formado por: Ativo Circulante e Ativo Não-Circulante.

Em resumo, o ativo circulante é o dinheiro em caixa ou ativos que possam ser realizados no curto prazo. O ativo não-circulante diz respeito aos que só poderão ser realizados no longo prazo.

O ativo circulante é utilizado para se descobrir o capital de giro de um negócio, pois o capital de giro é o resultado do ativo circulante menos a passivo circulante.

Passivo circulante, de maneira simplória, são as dívidas de curto prazo.

Então, agora temos três conceitos:

  • Ativo Circulante: “dinheiro” de curto prazo;
  • Passivo Circulante: dívidas de curto prazo;
  • Capital de Giro: ativo circulante – passivo circulante.

Ativo Circulante

Tipos de ativos circulantes

  • Ativo circulante operacional: está ligado às etapas operacionais da empresa, ou seja, as funções que mantem o negócio em funcionamento como, por exemplo, estoque e duplicatas a receber;
  • Ativo circulante líquido: também é conhecido como circulante financeiro e representa os ganhos da atividade da empresa e também dos seus investimentos. Exemplos são aplicações em ações e fundos bancários;
  • Ativo circulante cíclico: está ligado às atividades de rotina, ou seja, cíclicas da empresa. Adiantamentos e mercadorias são exemplos desse ativo.

Dessa forma, o ativo circulante é o termo contábil que define os valores e direitos que a empresa possui disponíveis no curto prazo.

Gerir bem o ativo circulante é realmente muito importante, pois é o que o negócio tem disponível para se manter funcionando.

Esperamos, com este artigo, ter esclarecido o que é ativo circulante.

Quem pode ser MEI?

A quantidade de Microempreendedores Individuais formalmente cadastrados no Brasil não para de crescer. Principalmente nesta época no qual a oferta de emprego tem diminuído, muitos acabam descobrindo seu tino empreendedor e resolvem ser “seu próprio negócio”. Contudo, qualquer um pode ser MEI? Não, aprenda neste artigo quem pode ser MEI.

Para quem ainda não conhece, existe a chamada Lei do Microempreendedor Individual, que é a Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008 que, em caso de dúvidas, é quem serve de base para esclarecimentos.

Faturamento do MEI

O primeiro ponto a ser levado em consideração é o faturamento. Para poder ser enquadrado na categoria de Microempreendedor Individual – MEI, há um limite de faturamento.

No momento em que este artigo está sendo escrito, o limite de faturamento é de, no máximo, R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) por ano.

Tenho vários empregados, posso ser MEI?

Não, o Microempreendedor Individual – MEI pode ter somente um empregado e este não deve receber remuneração maior que um salário mínimo vigente.

Quem pode ser MEI – atividades permitidas

Quem pode ser MEI?Se você se enquadra no limite de faturamento e tem no máximo um funcionário, resta agora verificar se a atividade que você exerce está dentro das permitidas para MEI.

Tal lista de atividades é disponibilizada no Portal do Empreendedor: CLIQUE AQUI PARA ABRIR.

Esperamos, com este artigo, ter esclarecido quem pode ser MEI.

Microempreendedor Individual – MEI – pode acionar PROCON

Conforme acordo de Cooperação Técnica celebrado, na última sexta-feira, entre o SEBRAE e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, os microempreendedores individuais – MEIs poderão acionar os Procons, órgãos estaduais e municipais de defesa do consumidor, para solução de conflitos relacionados ao consumo de produtos e serviços. Veja mais a seguir.

MEI pode acionar o Procon

Essa mudança é importante, pois antes disso tal direito era específico para pessoas físicas.

Segundo a secretária nacional do Consumidor, Juliana Pereira da Silva:

“A partir de agora, o trabalhador individual, além de cidadão, também é reconhecido como consumidor. É um pacto entre os órgãos de defesa do consumidor e o mercado que confere proteção a essa parcela de trabalhadores”.

A diretora-técnica do Sebrae, Heloisa Menezes, esclarece que:

“Esse entendimento que equipara MEI a consumidor marca mais uma etapa de evolução do ambiente legal, desde a implantação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, com a recomendação aos Procons de todo o Brasil do tratamento diferenciado ao Microempreendedor Individual. É de fato o maior movimento de inclusão produtiva no mundo”.

O documento foi assinado pela secretária Juliana Pereira da Silva e os diretores superintendente e de Operações do Sebrae em Minas Gerais, respectivamente, Afonso Maria Rocha e Anderson Cabido.

Importante salientar que referido procedimento é válido para todo o Brasil. Importante lembrar, também, que o MEI já conta com uma grande ferramenta para solução e resolução de conflitos por meio do www.consumidor.gov.br.

Essa ferramenta é uma ótima oportunidade para quem possui questões relativas ao consumidor e que precisam ser resolvidas, não deixe de utilizar.

Portanto MEI, caso você possua questões envolvendo relações de consumo referentes a produtos ou serviços que você adquiriu ou contratou, agora já lhe é possível contar com o auxílio do PROCON da sua cidade para solução do conflito.

Como fazer fluxo de caixa – MEI

Procurando informações sobre como fazer fluxo de caixa MEI? Sabe o que é fluxo de caixa projetado? Veja a seguir mais informações sobre o assunto.

Primeiramente, recomendamos que você baixe nossa planilha de fluxo de caixa para MEI. Naquela página, também, esclarecemos alguns conceitos sobre o que é fluxo de caixa, de forma que é importante que você leia a mesma antes de prosseguir na leitura desta.

Como fazer fluxo de caixa MEI

Fazer um fluxo de caixa perfeito é mais simples do que parece. Basta um pouco de dedicação e organização.

Saídas

A primeira coisa a ser feita é separar as saídas em: fornecedores, despesas e outras saídas.

  • Fornecedores: Todos os gastos com seus fornecedores;
  • Despesas: são os gastos administrativos como telefone, correio, internet, papelaria etc;
  • Outras despesas: amortização de empréstimos, pagamentos de tributos e investimentos.

Entradas

Nas entradas você deve especificar o que recebe com suas vendas e/ou prestação de serviços, ou seja, é o dinheiro que entra por meio do seu trabalho.

Recomenda-se que esse preenchimento seja feito diariamente.

Resultado do período

Para verificar o resultado do período (dia, semana, mês ou ano) basta realizar a soma de todas as entradas e diminuir as saídas. Nossa planilha de fluxo de caixa faz o controle e realiza as contas para você.

Como fazer fluxo de caixa e fluxo projetado?

Como calcular lucro

O lucro é o resultado do que você ganha menos o que você gasta, simples assim. Para apuração do lucro, leve em conta todos os gastos que você tem com seu negócio, mesmo os que parecem insignificantes. Muitas vezes, esses pequenos gastos realizados várias vezes durante o mês acabam formando um bom montante de despesas.

Após um determinado período, verifique se o que você está ganhando com seus serviços ou venda de produtos está maior do que você está gastando, para apuração do lucro.

Caso você perceba que está com despesas maiores do que receitas, significa que seu empreendimento está dando prejuízo. Veja abaixo como resolver.

Como passar a ter lucro

  • Reduza despesas: Analise a planilha na parte das despesas e veja onde está gastando mais dinheiro. Identifique gastos desnecessários ou acima do ideal e passe a diminuir tais despesas. Em quase 100% dos casos existem despesas que podem ser cortadas.
  • Aumente a quantidade de vendas ou serviços: Em alguns casos, aumentando a quantidade de vendas ou prestação de serviços já é suficiente para passar a ter lucro. Invista um pouco em propaganda e veja o retorno. Caso o ganho obtido nas vendas ou serviços seja maior do que o gasto com a propaganda, siga divulgando seu negócio! Redes sociais são uma ótima forma de divulgação.
  • Altere os preços dos produtos ou serviços: Você deve ter bom senso na determinação dos preços dos produtos que vende e serviços que presta. Em alguns casos, preços baixos podem atrair mais clientes, de forma que o lucro que você deixará de ter em cada produto/serviço especificamente será compensando pelo aumento na quantidade de clientes. Em outros casos, porém, é necessário aumentar o valor dos serviços ou produtos para passar a ter lucro. Você deve analisar seu caso específico e testar, se for o caso.

Fluxo de caixa projetado

A utilização de linhas de crédito tem aumentado a cada dia tanto entre pessoas físicas como entre empresas. Dessa forma, é necessário que você tenha controle sobre o que se tem a receber e a pagar no futuro. Você deve inserir esses valores na planilha, fazendo, assim, o fluxo de caixa projetado.

O fluxo de caixa projetado é o que você “prevê” ou projeta que receberá no futuro.

Sabendo que se tem uma determinada conta a ser paga daqui a 30 dias, por exemplo, você deve ter em caixa, já este mês, a quantia referente a tal pagamento, ou, pelo menos, previsão de que receberá valores suficientes para o pagamento da obrigação.

Esse tipo de projeção é muito útil para dar uma visão financeira futura de seu empreendimento. Veja se não há distorções entre o tempo para receber de clientes e o tempo para pagar aos fornecedores. Não se coloque em situações nas quais tenha muitas obrigações a pagar e poucos valores a receber.

Como um bom fluxo de caixa é ferramenta essencial para controle financeiro do negócio, recomendamos que você dedique um pouco de tempo diariamente ao preenchimento e análise da planilha.

Leve isso a sério e faça os preenchimentos de forma exata, você verá como os resultados futuros serão positivos.

Esperamos, com este artigo, ter esclarecido como fazer fluxo de caixa MEI e o que é fluxo de caixa projetado.